Candidatos e familiares comparecem à prova presencial

Enquanto os jovens realizavam a prova, os pais presentes conheceram a equipe a estrutura do ISITEC

A recepção aos candidatos do processo seletivo para a Graduação de Engenharia de Inovação foi diferente do que normalmente se encontra numa prova de vestibular. Ao chegarem, os jovens e familiares que os acompanharam, foram recebidos no auditório com uma conversa para dar boas-vindas.

Em seguida os candidatos foram direcionados para as salas de prova, onde responderam questões de lógica e desenvolveram a redação. Enquanto isso, os pais que estavam aguardando foram convidados a conhecer todas as instalações do ISITEC, conduzidos pelo diretor da graduação, o professor José Marques Póvoa.

Depois do tour e de muita conversa, os pais deram depoimentos revelando suas expectativas e impressões sobre o ISITEC e a proposta do curso de Engenharia de Inovação. Veja abaixo:

Edna Edna Bispo e Paulo da Silva – Guarulhos, pais de Rafael

Paulo: “Achei a proposta inovadora. O que a gente quer é que o curso prepare ele para o mercado de trabalho, por que se o mercado de trabalho está exigindo a inovação, o caminho é esse mesmo. Eu gostei do que vi pela preocupação, pelo envolvimento, pelo conhecimento dos professores. O que mais me chamou a atenção foi o fatos de eles (professores) estarem realmente disponíveis ao aluno, isso é que é realmente interessante. Se cada professor puder mostrar isso: quem faz a diferença é você, só isso já é muito legal”

Edna: “Viemos juntos para conhecer a escola, a estrutura e gostamos muito do que o professor Póvoa nos mostrou”.

Gerner Márcio Gomes de Matos, de Rondônia, pai do João Marcos

“Foi meu filho quem achou essa proposta na internet. Ele trazia pra gente as propostas do que ele queria. Quando ele trouxe essa proposta, o ISITEC realmente fez brilhar meus olhos. Eu achei fantástico. A primeira coisa que me chamou a atenção foi ter o nome do Sindicato no projeto, pois sabia que era uma coisa séria e que eles sabem o que falta na formação do profissional.

Eu sabia que quem se propõe a dar um curso desses, com bolsa de estudo, com ajuda de custo, não está procurando o aluno aventureiro, está procurando alguém que quer voar. (se emociona) Pra mim esse é o melhor projeto que tem no país hoje. Apesar de embrionário sei que já vai nascer com força. Sei que eles vão passar por uma fase de teste, mas eu realmente acredito. Aqui estou no céu!”

Sandro Possidonio, de Paraibuna, pai de Leonardo

“Meu filho estava pesquisando para fazer engenharia de produção e eu recebi a divulgação do curso. Quando eu vi ‘Engenharia de inovação’ eu fiz uma leitura no site, achei interessante. A questão da inovação é que chama a atenção. Você vê a mudança que tem no que o mercado está exigindo e a gente vê que todas as escolas estão mudando seu perfil. Então esse foi o ponto positivo.

Aqui eu senti que tem um grupo investindo para formar bons engenheiros. As instalações estão muito bem adequadas, tudo novo, salas amplas, uma biblioteca bem adequada, um ambiente agradável. Isso é outro ponto pra pesar na hora da avaliação”.

Márcio de Figueiredo Andrade, de Franca, pai do Márcio

“Sou engenheiro agrônomo e inspetor do CREA. Estou sempre em contato com pessoas da área e, desde o ano passado já vi essa proposta, fui acompanhando a evolução no site e sempre achando que era isso! É isso que, como engenheiro agrônomo, a gente está sempre buscando, a inovação, é essa a palavra. É a inovação que a gente busca para o produtor rural, fazer mais com menos, ter mais rentabilidade e fiquei encantado.

O que me chamou a atenção aqui foi toda a estrutura, o professor Póvoa, a equipe, as instalações. Fiquei mais motivado e encantado ainda, sabe? Se for pela minha opinião eu vou dizer: filho, eu quero que você faça aqui”!

Maria José Dutra, Goiânia, mãe do Luam

“Nós estamos cheios de esperança. Nós acreditamos que esse curso vai dar um futuro brilhante pros alunos que aqui vão estudar. A proposta é muito boa, realmente inovadora. Hoje eu acho que as pessoas que estão pretendendo que seus filhos tenham um bom local no mercado de trabalho, realmente eles têm que procurar inovação.

Isso chamou muito nossa atenção. Meu filho já faz faculdade federal em Goiânia, faz engenharia Florestal. Meu marido é projetista industrial, trabalha com inovação e é premiado pela Finep e ele soube do curso e não teve dúvidas.

Achei o espaço físico da instituição muito bom, a proposta é melhor ainda, o que na verdade é o que nos preocupa mais. A grade curricular nos chamou a atenção. Então estamos muito felizes e esperançosos. Pra nós se ele estudar aqui vai ser um prazer e uma honra”.