Fapesp possibilita que cientistas de outros países realizem pesquisas em São Paulo

No ano passado 240 cientistas estrangeiros foram beneficiados pelo programa

Representantes da Fapesp e da Rede Interamericana de Academias de Ciências (Ianas) anunciaram um conjunto de oportunidades que possibilitará que pesquisadores indicados pelas academias nacionais de ciências, filiadas à Ianas, solicitem a Fapesp propostas de financiamento. Os projetos deverão ser submetidas pelos pesquisadores interessados à academia de ciências de seu país de origem, que as encaminharão para a Ianas.

Os projetos de pesquisa dos candidatos pré-selecionados serão submetidos ao processo de análise de propostas da FAPESP, que é baseado no mérito científico e utiliza revisores externos e pareceres de comitê científicos para embasar suas decisões.

As propostas aprovadas serão apoiadas pela FAPESP por meio da concessão de Bolsas de Pós-Doutorado, do Programa Jovens Pesquisadores em Centros Emergentes e Auxílio à Pesquisa – Pesquisador Visitante.

Bolsas de Pós-Doutorado são concedidas pela FAPESP a cientistas promissores em suas áreas de pesquisa, que obtiveram o título de doutor há menos de sete anos. O Programa Jovens Pesquisadores em Centros Emergentes oferece bolsa e o financiamento necessário para que o pesquisador desenvolva seu projeto.

Por sua vez, o Auxílio Pesquisador Visitante cobre as despesas da visita de pesquisadores experientes, vinculados a instituições de pesquisa do exterior ou do Brasil, a uma instituição de pesquisa no Estado de São Paulo, por um período de duas semanas a 12 meses.

Essa modalidade de Auxílio da FAPESP trouxe 240 cientistas estrangeiros para visitar universidades e instituições de pesquisa do Estado de São Paulo em 2011, resultando em uma média de quatro pesquisadores por semana. A meta é aumentar cada vez mais esse número nos próximos anos.

Em contrapartida às oportunidades oferecidas pela FAPESP para que cientistas do exterior possam vir realizar suas pesquisas em São Paulo, destaca-se que a Fundação também possui modalidades de apoio para enviar pesquisadores do Estado de São Paulo para outros países.

Em 2010, a FAPESP enviou 900 cientistas do Estado de São Paulo para realizar estágios de curta duração no exterior com uma modalidade de auxílio que permite que todos os bolsistas possam solicitar recurso adicional para desenvolver pesquisa em bons laboratórios fora do Brasil por um período de quatro a 
12 meses.

*Informações da Agência Fapesp