Professor da UFSCar ganha maior prêmio de inovação tecnológica nacional

Em razão da importância do tema relacionado à engenharia e à inovação tecnológica, transcrevemos, a seguir, informação da EdUFSCAR, editora Universidade Federal de São Carlos.

 

O professor titular de Ciência e Engenharia de Materiais, da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos), Edgar Dutra Zanotto, autor livro “Cristais em Vidros – Ciência e Arte”, foi o vencedor do prêmio brasileiro mais importante referente à inovação tecnológica nacional: o Prêmio Almirante Álvaro Alberto, concedido pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), em parceria com a Fundação Conrado Wessel e a Marinha do Brasil.

Outorgado anualmente desde 1982, o prêmio contempla um pesquisador individual que tenha se destacado pela realização de obra científica ou tecnológica de reconhecido valor para o progresso da sua área. Zanotto foi escolhido por sua contribuição na área de Ciências Exatas, da Terra e Engenharia.

Cristais em Vidro

Em comemoração aos 35 anos do Laboratório de Materiais Vítreos, da universidade, Zanotto resolveu reunir os trabalhos de pesquisa científica de maior peso sobre o fenômeno da cristalização em vidros. O resultado pode ser conferido em “Cristais em Vidros Ciência e Arte”, lançamento EdUFSCar, que reúne tanto as descobertas realizadas ao longo das últimas três décadas e meia como uma ampla coleção de imagens que revelam as belezas e os segredos ocultos nos cristais microscópicos. Um feliz encontro entre ciência e arte, que interessa tanto à comunidade científica quanto ao público leigo.

> Confira aqui algumas micrografias do livro

Dividido em duas partes, o livro conta, primeiramente, com um breve resumo sobre as pesquisas voltadas ao desenvolvimento de novos vidros e vitrocerâmicos e ao estudo de suas propriedades físico-químicas. Em seguida, apresenta uma surpreendente coleção de micrografias (fotografias obtidas a partir de microscópio óptico ou eletrônico) que registram o encanto dos cristais.

Dispostas ao longo da publicação, essas micrografias são subdivididas em cinco categorias, a partir dos procedimentos utilizados em cada cristalização: nucleação interna, nucleação superficial, sinterização viscosa com cristalização simultânea, cristalização eutética e trincas e bolhas em vitrocerâmicos. Sempre acompanhadas de uma explicação sobre cada fenômeno, as fotos aparecem numa versão diminuta e outra ampliada, possibilitando uma visualização detalhada de cada evento. Tão admiráveis são as imagens que, em um dos casos, uma das cristalizações chega assemelhar-se à obra Campo de trigo e um pássaro de Van Gogh (1887). Abaixo, reprodução do quadro original do pintor e micrografia de cristais de metassilicato de lítio que nuclearam na superfície.

Segundo o próprio autor, a publicação visa contribuir tanto para registro e devido crédito aos vários pesquisadores que tiveram importantes descobertas nesse meio, como também motivar jovens e novatos na busca interminável dos meandros da cristalização em vidros.

Imprensa – SEESP